Atleta conta como superou o câncer de testículo

Ao iniciar o tratamento contra o câncer, Vinicius Zimbrão lançou um desafio para incentivar outras pessoas a praticar atividades físicas (Foto Divulgação)

Ao iniciar o tratamento contra o câncer, Vinicius Zimbrão lançou um desafio para incentivar outras pessoas a praticar atividades físicas (Foto Divulgação)

Era uma segunda-feira quando Vinicius Zimbrão, aos 40 anos, recebeu o diagnóstico de câncer de testículo. Foi em outubro de 2014. O atleta carioca de corridas de aventura, ciclismo e triatlo teve que encarar o maior desafio de sua vida: o tratamento da doença, cercada de muitos tabus, especialmente entre os homens. Não foi fácil, mas ele venceu.

Zimbrão admite ter ficado abalado física e psicologicamente após a notícia, mas decidiu enfrentar o desafio. Professor de Educação Física na academia Velox Fitness, se sentiu ainda mais motivado depois que um aluno lhe disse que iria pedalar na rua em sua homenagem. “Eu respondi que, então, iríamos pedalar juntos após o tratamento e ali surgiu uma inspiração”, relembra.

O  fato de sempre ter praticado esportes o ajudou a reagir melhor às 21 pesadas sessões de quimioterapia. Já na primeira delas, resolveu lançar o Desafio do Zimbrão nas redes sociais, para incentivar outras pessoas a praticarem atividades físicas por ele, enquanto estava em tratamento.

O desafio levou muitas pessoas, algumas delas totalmente sedentárias, a correr, pedalar, caminhar… E também a postar suas próprias fotos, praticando exercícios. Passados os primeiros três meses, ao final do tratamento, houve a grande celebração: um passeio ciclístico para amadores, com doações revertidas para doentes de câncer em tratamento.

“Viver inspira a cura” se tornou o principal lema do atleta, que atualmente divide o seu tempo entre treinos e atividades que visam estimular a prática de exercícios físicos. O #desafiodozimbrão virou uma corrente que até hoje mobiliza várias pessoas a praticar esportes.

Na seção ‘Eu Vivo’, confira a história de Zimbrão na vídeo https://youtu.be/dLy9k4eyT5M

Atividade física pode ajudar no combate ao câncer

De acordo com  Fabiana Hottz, fisioterapeuta do Grupo Oncologia D’Or,  atividades físicas podem ajudar tanto no tratamento quanto no combate ao câncer. “A atividade física moderada previne, ou melhora a fadiga – manifestação mais frequente em pacientes com câncer em tratamento com quimioterapia ou radioterapia. Fadiga é a sensação de falta de energia que leva à perda de massa muscular e fraqueza muscular, diminuindo a capacidade física do paciente e afetando a qualidade de vida”, afirma.

Aos 40 anos Zimbrão descobriu que tinha doença, que responde por 5% dos casos de câncer entre os homens (Foto: Divulgação)

Aos 40 anos Zimbrão descobriu que tinha doença, que responde por 5% dos casos de câncer entre os homens (Foto: Divulgação)

Médico de Vinicius Zimbrão, Daniel Herchenhorn, coordenador científico e oncologista clínico do Grupo Oncologia D’Or, alerta que, quando detectado precocemente, o câncer de testículo pode ser facilmente curado. A doença é a mesma que vitimou o ciclista Lance Armstrong, de forma mais grave, atingindo também o pulmão e o cérebro. E  acomete principalmente homens mais jovens, com idade entre 20 e 40 anos, e corresponde a 5% do total de casos de câncer entre o sexo masculino.

O médico alerta para a necessidade de uma rotina masculina de cuidados com a própria saúde. “É preciso informar os homens a respeito da doença. Temos que ressaltar a importância de procurar um especialista sempre que notarem qualquer nódulo, endurecimento ou aumento do testículo, mesmo na ausência de dor”, alerta o especialista.

Fonte: Grupo Oncologia D’Or, com redação