A luta do pequeno André pela vida precisa de você

andre5

Ele tem apenas sete meses, mas já pode ser considerado um guerreiro, com a capacidade de mobilizar uma cidade inteira. A história do pequeno André Arndt de Godoi está mobilizando Macaé, cidade de pouco mais de 200 mil habitantes no Norte Fluminense. O menino é portador do tipo mais grave de Atrofia Muscular Espinhal (AME), também conhecida como doença de Wednig-Hoffman.  Degenerativa, a doença de origem genética atinge uma em cada 10 mil crianças.

A AME debilita o sistema nervoso até chegar ao ponto da pessoa não conseguir se mover ou mesmo respirar. Apesar de não ter cura, a doença tem tratamento, que ainda não está disponível no Brasil. O medicamento Spinraza, fabricado nos Estados Unidos, tem um alto custo: cada dose sai por US$ 150 mil.

“Para iniciarmos o tratamento, precisamos que ele tome durante um ano seis doses da medicação. Ao todo, são US$ 900 mil – quase R$ 3 milhões. Não temos como arcar e começamos a pedir ajuda por meio das redes sociais. Não podemos perder a esperança, vamos conseguir salvar nosso filho”, diz a mãe de André, Juliane Arndt.

A campanha AME André foi lançada há 15 dias no Facebook e no Instagram e já conta com quase 40 mil seguidores. A ajuda saiu do mundo virtual e está tomando conta da cidade: voluntários estão organizando rifas e eventos para arrecadar fundos para o tratamento do bebê.

Até agora, a campanha já arrecadou cerca de R$ 300 mil, equivalente a 10% do valor do primeiro ano de tratamento. “Qualquer quantia ajuda. Estamos muito emocionados e muito agradecidos por toda essa mobilização pelo nosso filho”, diz Juliane.

O diagnóstico da AME foi descoberto quando André tinha três meses. Os pais notaram que ele começou a ter movimentos mais lentos, com o corpinho mole e sem movimentos na cabeça. O bebê ainda teve uma parada cardiorrespiratória aos cinco meses e já teve que passar por duas cirurgias (traqueostomia e gastrostomia). Desde então, André respira com a ajuda de aparelhos e se alimenta por meio de sonda. Sem a medicação, os médicos deram a André a expectativa de vida de dois a três anos. O dia a dia do bebê está sendo compartilhado no Facebook, na página AME André, e no Instagram, no perfil andre.ame.

Também foi criado o site www.ameandre.com.br, que aceita também doações internacionais. A campanha também está aceitando doações por depósito e por meio da plataforma Vakinha.

Saiba como ajudar: 

Depósito em Conta Poupança: Banco do Brasil Agência: 4342-7 Conta Poupança: 12530-X Variação: 51 CPF: 194.263.047-62 Beneficiário: André Arndt de Godoi

Depósito em Conta Poupança: Banco Santander AG: 0943 Poupança: 600043650 CPF: 194.263.047-62 Beneficiário: André Arndt de Godoi

Doação através da plataforma Vakinha:  https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ame-andre

* Colaboração da jornalista Simone Noronha