10 dicas para melhorar a saúde bucal

saudebucalCuidar dos dentes não é apenas questão de estética, e sim de saúde. Todo mundo sabe que a saúde começa pela boca. Muitas doenças que atacam o organismo têm a boca como porta de entrada. Além disso, bactérias e os fungos naturais dessa região podem se proliferar e atingir outros órgãos.  De acordo com a Associação Brasileira de Odontologia, menos de 22% de adultos e 8% dos idosos têm as gengivas totalmente saudáveis.

Entre os problemas bucais mais comuns na população brasileira está a gengivite, que, quando não tratada, pode evoluir para a periodontite. A American Dental Association (ADA) aponta que problemas bucais, como doença crônica gengival (periodontite), podem provocar inclusive males no coração e nos pulmões.

Um exemplo é a endocardite bacteriana, infecção grave das válvulas cardíacas ou das superfícies do coração, cuja bactéria que causa o problema pode ser proveniente de falta de cuidados com a higiene oral, como não escovar os dentes, e de doenças bucais existentes.

Neste Dia do Dentista (25 de outubro), Pedro Lima, sócio e dentista do Instituto Pedro Lima de Odontologia Avançada, destaca 10 dicas para você melhorar sua saúde bucal considerando diferentes faixas etárias.

1- Faça a higiene corretamente! Tão importante quanto a quantidade de higienizações diárias (3 vezes), é também a qualidade delas. Faça a sequência correta de higienização sempre nessa ordem: fio dental, escovação, raspagem da língua com raspador de língua e bochecho com flúor. Escovar a língua com a escova de dentes não é o ideal.

2- Se gosta muito de açúcar e doces, faça o consumo deles com inteligência. Não consuma o açúcar várias vezes ao dia. Tente consumir apenas 1 ou 2 vezes, mas não todos os dias. Porém, o ideal é que não consuma, pois diversos estudos científicos demonstram que o açúcar refinado não tem valor nutricional para a sua saúde.

3- Agende uma consulta com o dentista, no mínimo, a cada seis meses. Se ele for capacitado para realizar o check-up preventivo digital, faça-o nessa mesma consulta semestral.

4- Faça uma autoavaliação do seu sorriso em fotos postadas nas redes sociais, em selfies ou até mesmo no espelho. Se não estiver satisfeito, ou até mesmo se não estiver sorrindo por vergonha de mostrá-lo, agende hoje mesmo uma consulta com o seu dentista.

5- Nossa rotina diária está cada vez mais atarefada e corrida, porém recomendo que reserve um tempo para visitar o seu dentista mesmo que não esteja sentindo dores. Isso vale para você e para os seus filhos. Prevenir é infinitamente mais barato que tratar. Consultas preventivas são muito mais baratas que os tratamentos extensos.

6- Seu bebê acabou de nascer e ainda não tem dentes? Procure  um dentista especialista em Odontopediatria. Você poderá se surpreender com a consulta. Exames de prevenção desde os primeiros meses são fundamentais para o bom desenvolvimento do bebê.

7- Você que utiliza uma prótese total ou parcial removível antiga e ela está frouxa e/ou saindo da posição com facilidade, agende uma consulta com o seu dentista. Ele poderá reembasá-la  ou fazer uma nova.

8- Tenha sempre  à mão um kit de higiene bucal básico. Ele pode ser comprado em farmácias ou pode ser fornecido pelo seu dentista. Isso vale também para as lancheiras dos seus filhos. Até mesmo em alguns banheiros de restaurantes e shoppings tem fio dental na parede e bochechos de flúor.

9- Se você tem dores recorrentes na cabeça, na face, nos ouvidos ou no pescoço e já passou por diversos especialistas médicos (otorrinolaringologista, neurologista, clínico geral e etc), procure um dentista especialista com experiência em bruxismo e DTM (Disfunção Têmporo Mandibular). A causa das suas dores pode estar na sua boca e no seu sono.

10- Os chicletes e balas sem açúcar podem ser seus amigos por conterem xilitol (adoçante natural e excelente substituto do açúcar) e estimularem a salivação, porém também podem ser seus inimigos se virarem um vício, pois o uso diário e recorrente poderá sobrecarregar a musculatura da face e as articulações da mandíbula, podendo gerar dores de cabeça e até mesmo nos ouvidos.